@ Supremo Conselho de Portugal, 2004 - 2019

  • Supremo Conselho de Portugal

MENSAGEM DE ANO NOVO 2017 | SOBERANO GRANDE COMENDADOR SUPREMO CONSELHO DE PORTUGAL

Atualizado: 19 de Dez de 2019

MENSAGEM DE ANO NOVO 2017 | SOBERANO GRANDE COMENDADOR SUPREMO CONSELHO DE PORTUGAL


Boa noite.


Num mundo em perpétua evolução, o Homem procura um sentido para a sua vida. A sociedade vê-se sacudida por sobressaltos que chegam de todas as partes.


A Maçonaria, que é um fato social, não escapa a essa regra e isso é perfeitamente compreensível, porque o maçon é um ser que vive o seu tempo e não fica à margem da agitação que o rodeia. Esta necessidade de mudança é exigente e os maçons trabalham diariamente, nos Seus Templos e fora deles para que as asperezas do seu carácter humano sejam debilitadas. Mas também é nosso dever assinalar o fim do Ano Civil de 2016 e, desta forma, comemoramos o Inicio de um novo Ano vulgar.


Dentro de momentos as pessoas cumprimentam-se, confraternizam, trocam impressões e preparam-se para mudarem o Espírito. Aguardando a entrada do novo ano que se aproxima. 2017 está quase a chegar!


Nós, os maçons reconhecemos que em Maçonaria não há um inicio, há múltiplos inícios e em todos eles abarcamos novas responsabilidades. Fazemo-lo também por pertencermos a Lojas de S. João, como testemunha o Volume da Lei Sagrada, aberto no prólogo do 4º Evangelho. E aproveito esta oportunidade para descrever um pouco este tema. A Bíblia representa um símbolo magno do Rito Escocês Antigo e Aceite e não um livro de qualquer religião revelada. A Bíblia, junto ao Esquadro e o Compasso, ostentam as Três Grandes Luzes da Maçonaria. Permita-me ainda esclarecer os não maçons que o Volume da Lei Sagrada é, por definição, o Símbolo da Tradição do nosso Rito. Porém, Tradição significa transmissão. A presença de um livro em branco significaria que o Rito Escocês Antigo e Aceite não tinha nada a transmitir; nem sequer a origem das nossas lendas. Isto seria a negação, pura e simples, do ensinamento do Rito. Como contrapartida, colocar-se-ia o problema do Grande Arquiteto do Universo. Desde que se eliminasse a dimensão sagrada dos nossos Templos, para quê complicar-se a questão com esse símbolo do transcendente? A Jurisdição Portuguesa subscreveu a declaração de princípios da Convenção de Lausana de 1875 que reconhece e proclama a existência de um Princípio criador, reconhecido como Grande Arquiteto do Universo.


O conceito tem a vantagem de conciliar as religiões dogmáticas e as religiões que não reconhecem a existência de um Deus criador ou de um demiurgo. Daí a sua capacidade para “reunir o que está disperso”, definição lapidar do universalismo do Rito Escocês Antigo e Aceite e que permite ascender do incognoscível ao cognoscível, de vincular o visível e o invisível, de propor uma união do humano com o divino. E esta nossa forma de comunicar é uma prática que remonta à mais longínqua antiguidade, ainda que a Maçonaria só fosse institucionalizada no século XVIII, o seu código de conduta é tão velho como as antigas confrarias de construtores. Em síntese, o Rito Escocês Antigo e Aceite é um rito iniciático racional.


Por isso não há que confundir tradição com conservadorismo, da mesma maneira que não há que confundir espiritualidade com religião, modernidade e modernismo. 2017 pode ser um ano cheio de obstáculos. Mas sob o ponto de vista espiritual a Maçonaria e o Rito Escocês Antigo e Aceite podem ajudar à devolução da PAZ, da CONFIANÇA, da TOLERÂNCIA.

Tenha esperança!

Que o ano de 2017 seja para Si e para a Sua família um ano de esperança e de paz.



#REAA #AltosGraus #ÁlvaroCarva #SCdP